“Entre a multidão havia muitos boatos a respeito dele. Alguns diziam: ‘É um bom homem’. Outros respondiam: ‘Não, ele está enganando o povo.’” João 7:12

Essa era a situação quando Cristo, o Filho de Deus, estava no mundo pregando ao povo de Israel e testificando de Sua missão divina através de sinais e maravilhas. Havia duas opiniões contrastantes dEle entre o povo. Alguns O consideravam um bom homem; outros achavam que era um enganador do povo. Muitos O desprezavam a tal ponto de dizer: “Ele está endemoninhado e enlouqueceu. Por que ouvi-lo?” (João 10:20). Os fariseus chegaram até mesmo a afirmar que “É pelo príncipe dos demônios que ele expulsa demônios”(Mateus 9:34).

Cristo enfrentou o ódio e a hostilidade humana, instigados pelo diabo, o adversário de Deus, com Seu amor eterno. Isso havia sido profetizado no Antigo Testamento: “Pois homens ímpios e falsos dizem calúnias contra mim, e falam mentiras a meu respeito.Eles me cercaram com palavras carregadas de ódio; atacaram-me sem motivo.” (Salmos 109:2-3).

Hoje, essas duas opiniões sobre Jesus Cristo também são muito comuns, Para alguns, Ele é o Senhor e Redentor. A esses, Jesus chama de “Seus”, eles O conhecem e O amam. Outros nem se importam com Ele e, por vezes, essa indiferença se transforma em desprezo ou mesmo ódio.

Antes de morrer, cada ser humano tem de escolher de que lado ficará. Se quisermos alcançar a eterna glória de Deus, então, temos de entrar na feliz unidade e comunhão com o Senhor Jesus Cristo enquanto estivermos aqui no mundo. A opinião sobre o desprezado Nazareno decidirá nosso destino eterno. Aquele que não quiser escolher, já escolheu!

Fiquem na Paz!                                               @GustavoWoerner

Categorias: Reflexões

Comente pelo Facebook »