Olá, queridos leitores!

ADVERTÊNCIA! / WARNING! / ACHTUNG! / ATTENTION! / ATTENZIONE!

Se você não leu os três posts anteriores sobre o assunto, então recomendo que nem passe deste parágrafo. São extensos – eu sei –, mas é fundamental que você leia cada um deles com atenção.

Dicas e truques do Kokinho! Pra quem não sabe, Kokinho sou eu (é uma longa história…heheh).

Copie um a um, cole em sequência num arquivo do Word e depois imprima. Assim fica mais fácil ler o conteúdo na integra e saber do que se trata.

Depois da “pausa para o café” (que durou quase uma semana), vamos continuar separando o joio do trigo. Considerações ao final do texto.

Há algumas instituições diferentes entre si, mas elas tem em comum todas as características de uma seita e por isso podem assim ser denominadas. Constantemente mudam de doutrina, usam fontes de autoridade extra Bíblicas, ou seja, usam livros escritos por seus lideres/fundadores que geralmente alegam terem recebido “novas revelações” de Deus e, por isso, estes afirmam serem os únicos porta-vozes de Deus para a humanidade neste tempo. Com esse tipo ensinamento enganam seus adeptos, pois tudo o que Deus tinha para registrar já está na Bíblia e não é necessário nenhuma “nova revelação”. Estes livros chegam a ter a mesma importância que a própria Palavra de Deus. Alguns ensinam que não se deve comemorar aniversário, nem natal, nem ano novo, nem páscoa e nem outras datas, sob alegação de que comemorar tais datas é coisa das pessoas do mundo e não para o povo de Deus. Afirmam que quem desobedecer essas regras (que, diga-se de passagem, são criadas pela instituição ) estará pecando contra Deus.

Ok. Que algumas dessas datas perderam seu real sentido e tornaram-se apenas comércio, vá lá. Estou de pleno acordo. Mas penso que Deus não está preocupado com o fato de comemorarmos ou não essas datas, mas a forma como comemoramos, ou seja, se o fazemos com espírito de gratidão juntamente com amigos e familiares para agradecer pelas bênçãos (inclusive uma oportunidade para dar um bom exemplo e pregar o Evangelho); ou se comemoramos com bebedeiras, gritarias, brigas ou de outras formas que não nos acrescentam nada na vida e ainda servem de mau exemplo para os outros.

Quando tentam argumentar suas doutrinas, pulam de uma passagem para outra confundindo as pessoas. Tem ainda a proibição da transfusão de sangue, que nada mais é do que uma interpretação desastrosa e forçada de passagens bíblicas que falam sobre a lei do povo hebreu, onde era ordenado a abstenção de COMER sangue de animais. Vou mostrar pelo menos dois textos bíblicos usados por estas instituições para ensinar seus adeptos que não se deve aceitar a transfusão de sangue.

O primeiro texto é o seguinte: “Somente a carne com a sua alma — seu sangue — não deveis COMER” (Gênesis 9.4) (grifo meu).

O segundo texto é: “Pois a alma de todo tipo de carne é seu sangue pela alma nele. Por conseguinte, eu disse aos filhos de Israel: “Não deveis COMER o sangue de qualquer tipo de carne, porque a alma de todo tipo de carne é seu sangue. Quem o COMER será extirpado.” (Levítico 17.14) (grifo meu). Ambas as passagens bíblicas estão localizadas no Antigo Testamento.

No livro de Levitico (que eu acabei de citar) há uma passagem no capítulo 7, versículo 3, onde é ordenado a abstenção de COMER gordura animal. Veja o texto: “Fala aos filhos de Israel, dizendo: Nenhuma GORDURA de boi, nem de carneiro, nem de cabra COMEREIS;” (grifo meu). E então? Como ficam as coisas nesse caso?

Como eu havia dito em outro momento, é preciso lembrar que, ao interpretar algumas passagens da Bíblia, deve se levar em consideração o contexto cultural e histórico da época. Vou dar uma breve explicação para que você compreenda um pouco melhor. Na antiga aliança de Deus com seu povo, era comum o sacrifício de animais como: o cordeiro, bois, cabritos, etc. Estes sacrifícios eram queimados num altar como oferta pelo pecado do povo, e o sangue era aspergido, pelo sumo sacerdote, num local chamada Santo dos Santos. Era uma maneira simbólica de ter os pecados perdoados e, por isso, o sangue era importantíssimo, pois ali estava contida vida do animal. Ao oferecer sacrifício, a pessoa deveria ter a consciência que uma vida inocente foi, ali, sacrificada por causa do pecado dela. Esse ritual era feito pelo menos uma vez por ano. Hoje, há uma nova aliança de Deus com a humanidade através da pessoa de Jesus. O sangue de Jesus foi derramado por mim e por você naquela cruz. Nós somos os mereciam estar lá, mas Jesus, por amor, foi em nosso lugar.

Como o próprio Jesus declarou: 13Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos.14 Vocês serão meus amigos, se fizerem o que eu os mando.” (Lucas 15.13-14)

É daí que vem a importância dada ao não COMER sangue. No Novo Testamento, a abstenção do COMER sangue (assim como carne de animais sufocados) é mantida, válida e, portanto, deve ser obedecida. Mas isso nada tem a ver com transfusão.

Mas não para por aí. Virá o argumento da alimentação intravenosa que é, por exemplo, quando tomamos soro pela veia. O que?! Você não havia pensado nisso?! Deixa que eu te ajudo. Sangue (até onde eu sei) não é alimento e, portanto, não há problema algum em receber transfusão.

Os adeptos das instituições em questão, e outras similares, são sistemáticos, organizados, metódicos e bem treinados. O grande perigo disso tudo é que eles são levados a uma cegueira espiritual, pois em pouco tempo estarão fazendo tudo o que a religião quer e não estarão necessariamente fazendo a vontade de Deus. Pessoas levadas a ter muito zelo pela Bíblia, porém, sem o entendimento correto e necessário.

Um dos grandes erros é usar passagens e versículos isolados, fora de contexto, e interpretá-los de forma negligente e tendenciosa. É de grande importância saber que a Bíblia é um conjunto; ela foi feita para ser estudada, e não apenas lida; e interpretá-la fora do contexto histórico será um desastre total. Como aprendi: texto da Bíblia sem contexto é pretexto para heresia.

Passemos agora para reflexão sobre outro tipo de doutrina disseminada por pessoas que também utilizam a Bíblia como uma de suas fontes de ensino. Devo lembrar que, assim como as outras que mencionei anteriormente, estas também usam a Bíblia de forma seletiva, flexionado-a para encaixá-la em seus princípios. Entre seus principais ensinamentos estão a reencarnação e a comunicação com os mortos, dentre outras heresias.

A verdade é que esse tipo de ensinamento é muito atraente, porque visa “explicar” e dar “respostas” a muitas questões que a Bíblia supostamente não deixa claro. Volto a lembrá-los do que eu disse anteriormente: devemos procurar entender que a Bíblia não tem a intenção de responder a tudo o que nós queremos saber. Mas ela ensina o que nós precisamos e devemos saber.

O problema é quando estas respostas são dadas de forma totalmente desonesta por alguém despreparado que ansiava por responder aquilo que não precisava ser respondido. Na verdade, o que esta pessoa conseguiu foi apenas cavar mais um abismo entre o ser humano e Deus.

A linha mais conhecida dessa doutrina de reencarnação e comunicação com mortos surgiu quando um cidadão pegou a Bíblia e interpretou-a da forma como achou melhor, não levando em consideração o resto do contexto bíblico. Escreveu vários livros e, em um deles, ensina que algumas pessoas (os chamados médiuns) tem sensibilidade para se comunicar com espíritos e que elas podem se comunicar também com entes queridos que já faleceram.

As pessoas acham que vida espiritual é brincadeira, que podem sair por aí falando com quem já morreu, recebendo espíritos como se fosse o “fantasminha camarada”, sem saber com o que realmente estão lidando. O preço pago por quem insiste nesse tipo de prática é caríssimo, pois estão desobedecendo a um preceito que Deus deixou claro em sua Palavra. Além disso, neste caso, não compete a nós ficarmos especulando, e tão pouco faz diferença saber, o que acontece após a morte. Importa é que nós nos preocupemos com a nossa vida aqui e agora, pois não haverá outra chance para concertar os erros. Veja o que a Palavra diz: 27E, como ao ser humano está ordenado morrerem UMA VEZ, vindo depois disso o juízo,28 assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação.” (Hebreus 9.27-28) (grifo meu)

Como eu disse no meu primeiro post: Jesus não veio pregar um conjunto de ideias para que tenhamos um mundo melhor, pois de bons conselhos o mundo já está abarrotado. Jesus também não foi nenhum anjo e não foi nem de longe um “espírito evoluído” que reencarnou. Se, por exemplo, essa teoria de reencarnação fosse verdade, não faria nenhum sentido a morte de Jesus na cruz. Se assim fosse, Ele não precisaria ter passado por tudo que passou. Jesus apenas teria dito claramente: sejam bonzinhos, e um dia vocês chegarão ao meu nível.

O fato para o qual muitos não se atentam é que a Bíblia, a mesma que o tal cidadão usou para apoiar seus ensinamentos e usou também como fonte para escrever seus livros, a mesma Bíblia afirma categoricamente que Deus ABOMINA a prática de consulta a espíritos e aos “mortos”. Esta e outras partes da Bíblia foram DESONESTAMENTE deixadas de lado simplesmente para criar um deus segundo suas próprias concepções. Quando se faz este tipo de coisa, os resultados são extremamente catastróficos.

Outro ensinamento, nesta mesma doutrina, é que a salvação é obtida pela própria pessoa, por meio da caridade, ou seja, por meio das boas obras – ensinamento este que está completamente em desacordo com o que a Bíblia diz. A Palavra ensina que a salvação não é por mérito (para que ninguém se glorie, ou seja, para que ninguém se ache “o tal” ou merecedor), mas a salvação é pela GRAÇA e pela FÉ em Jesus Cristo e que isso não vem de nós, mas é dom GRATUITO de Deus.

Note que a doutrina de “salvação” pelas obras nada tem a ver com o amor ao próximo o qual Jesus ensinou, pois a pessoa vai fazer as boas obras porque ela quer se dar bem na “próxima vida”. Então eu pergunto: que “amor” é esse que visa uma contrapartida? Desculpem-me, mas isso pra mim é barganha.

O contraste entre o Evangelho de Cristo e esse tipo de “amor” é gritante. As boas obras são importantes sim, mas quem as pratica visando uma contrapartida estará enganando a si mesmo. O Evangelho de Jesus é tremendamente maravilhoso porque ensina a amar verdadeiramente as pessoas pelo simples fato de amar. Não para sermos salvos, não para recebermos bênçãos, não por medo de irmos para o inferno, mas porque fomos amados primeiro por Deus.

 

Enfim.. todas essas doutrinas/crenças/heresias que eu citei – e outras similares místicas e derivadas – trabalham com ensinamentos sobre o poder do pensamento positivo, poder da mente, auto-ajuda, adivinhações e uma série de preceitos e regras os quais têm alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, humildade, e em disciplina do corpo, mas não são de valor algum senão para a satisfação do próprio ser humano.

As demais eu nem vou comentar porque não valem a pena este esforço, pois é um emaranhado de crendices e superstições sem nexo e toda sorte de misticismos e esoterismos que não servem nem para fábulas infantis.

São, na verdade, um conjunto de princípios e ideias muito bem maquiados que, no fundo, levam as pessoas para o individualismo, onde cada um busca o que é melhor para si. Até usam a Bíblia como acessório, mas da maneira que melhor lhes convém, é claro. Infelizmente há pessoas que querem que a Bíblia diga aquilo que elas querem ouvir e, por isso, procuram seus próprios interesses em religiões e não no Evangelho de Cristo como deveriam.

Até aqui está cada vez mais difícil acreditar que todas as religiões, ou todos os caminhos, levam a Deus e que o importante é se apegar/acreditar em alguma coisa.

Para finalizar eu quero dizer que Deus nos deu a liberdade de escolha, mas nunca disse que qualquer caminho levaria a Ele.

Essas doutrinas e ensinamentos que mencionei nos últimos dois posts, são atalhos criados por seres humanos com a intenção de aproximar (ou não) as pessoas de Deus. Acredito que alguns poderiam até estar bem intencionados. Se tiveram uma boa intenção, tiveram também uma péssima ideia de perverter e distorcer a Palavra de Deus para criar uma religião ou seita própria com seus dogmas, tradições e ensinamentos tortuosos. Erraram, e erraram feio, pois o Evangelho de Cristo é auto-suficiente e não necessita que seja acrescentado mais nada a ele, pois Deus fez a obra completa através da pessoa de Jesus.

Jesus afirmou categoricamente: “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.”

Jesus não disse: eu sou UM dos caminhos; Ele disse: EU sou O caminho. Também não disse: eu sou UMA verdade; Ele disse: EU sou A verdade. E o caminho é estreito, e a verdade é dura, mas Deus terá o maior prazer em nos ajudar na caminhada. Pois Ele sabe que somos incapazes de nos salvar a nós mesmos.

 

O que eu costumo dizer sempre é que Deus nos dotou de inteligência – tá certo que uns nem tanto – e nos deixou sua Palavra para que tivéssemos um norte para nossas vidas. Deus deixou alguns princípios e preceitos importantíssimos que precisam ser observados para que não caiamos nestas armadilhas de heresias e falsos ensinamentos e doutrinas. A Bíblia está ao alcance de qualquer um. Felizmente vivemos num país livre onde podemos ter acesso a Palavra de Deus e, por isso, não há desculpa para permanecer no erro. Felizmente há também igrejas sérias, que tem compromisso com a Palavra e procuram ser coerentes com o que Jesus ensinou.

Deus é amor, dizem. Muitos usam esta frase como pretexto para permanecer no erro. Se você é um desses, lamento informá-lo: Deus é amor, sim! Mas o AMOR de Deus nunca esteve desvinculado da VERDADE e da JUSTIÇA de Sua Palavra.

No mais, eu vim simplesmente pregar o Evangelho de Cristo, que é o poder de Deus para a salvação dos que creem. Deus não quer sacrifícios religiosos. Ele quer ter um relacionamento pessoal com você, assim como um pai que ama o filho. Examine seu coração e diga se você realmente deseja ter um relacionamento sincero com Deus. Ore (não faça uma “reza”) e peça para Jesus entrar na sua vida, peça que Ele mostre o caminho a você. E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração. (Jeremias 29.13). Assim Deus promete em sua Palavra.

Não se deixe enganar por falsos mestres, ensinamentos e doutrinas. Se, por acaso, você se encontra envolvido(a) com alguma dessas heresias que eu mencionei (mas entendeu que Deus, através de sua Palavra, deixou princípios que são invioláveis) e sentiu o desejo de mudar, então, por favor, não perca  próximo post.

Deus ama você e quer usá-lo como instrumento de benção para ensinar a outros, por meio do verdadeiro amor, e de sua Palavra, o caminho de volta para casa.

Quando o ser humano ouve, Deus fala. Quando o ser humano obedece, Deus age.

Que Deus abençoe grandemente a cada um dos vitoriosos que conseguiram chegar até aqui. E que Ele dê a medida de entendimento necessária a cada um.

Um grande abraço e fiquem na Paz do Senhor Jesus.

Eduardo /@edukokinho

 

Categorias: Reflexões

Comente pelo Facebook »