Me preocupei. Comecei a perguntar, indagar, questionar, duvidar e contrapor. Na Bíblia eu me baseava, mas não a usava corretamente. Algo nasceu em meu coração: deixei de ser aquele jovem que sentava e escutava a Palavra, mas agora estudava, pregava, escrevia e necessitava saber mais ainda sobre aquela antiga certeza que antes me bastava. Comecei a ser movido pelas perguntas e não mais pelas respostas. A preocupação não era sobre quem eu pregava, mas como eu pregava.

Me desesperei. Vi que os outros me olhavam e notavam a minha mudança. A crítica deles existia, mas não falava. Poucos tiveram a ousadia de me encarar, mas tinham a capacidade de me derrubar. Quem vinha com argumentos eu escutava. Quem vinha com o Amor de Deus, eu calava. O Amor não bastava mais, não era mais resposta para tudo. Algo mudou. Entrei em um caminho que eu não conhecia; um caminho que eu não estava preparado para trilhar. O desespero foi eminente!

Me perdi. Parecia que Jesus não era mais resposta. “Como Deus pode permitir isso? Que Deus é esse que escolhe o Seu povo? Que amor seletivo é esse? Como as pessoas conseguem viver sem saber disso? Meu trabalho é em vão?”. Necessitava de respostas, não mais aquelas simples que ‘Deus tem um plano para a sua vida’, mas as complexas, que me fariam pensar. Eu as consegui e senti o gosto amargo da fruta que Adão comeu no Jardim. Deus me guardou do pecado da dúvida, mas mesmo assim eu quis sair do seu ‘Porto Seguro’. Vi que desfrutei do conhecimento que não estava preparado.

Me escondi. Como no primeiro pecado tentei correr do Amor, mas felizmente não foi possível. Deus procurou justamente onde eu estava: escondido no meio de falsas preocupações baseadas em regras desnecessárias. Deus me achou e me tirou do lamaçal que eu entrei. Me afundei até o pescoço de perguntas, e dentro delas eu me escondi!

Me recuperei. O Amor me encontrou. A ferida cicatrizou. A Bíblia, que nunca saiu das minhas mãos, agora a leio novamente com o objetivo primário: conhecer mais de Deus!

As leis são secundárias. O Pai bondoso me deu a sabedoria, e eu a usei para despertar o Fariseu incontrolável que reside dentro de mim. Olhei para o passado e vi que minha história já estava escrita no livro sagrado: A igreja de Éfeso. Abandonei o meu primeiro Amor, mas lembrei aonde eu cai, e com a ajuda de Deus foi me dada uma segunda chance! Senti uma nova conversão.

Deus me fez entender que um dia todas as perguntas que eu tenho serão respondidas. “Filho: minha graça é suficiente para você”. O Amor de Deus basta para mim!

 

Fiquem na Paz!                                       @GustavoWoerner

 

Categorias: Testemunhos

Comente pelo Facebook »