Hoje fiquei sabendo de ‘Carlos’. Não o conheci, na verdade, nem sei quem é. Mas fiquei sabendo dele pela tatuagem que vi no braço de uma mulher no ônibus. Ela tinha tatuado seu nome em letras grandes, bem grandes. Podia ser filho, marido, namorado, enfim, não sei. O que sei a respeito de Carlos é que é (ou foi) importante o suficiente para tê-lo tatuado daquele tamanho em seu braço. […]