Como prometido, relato aqui as minhas impressões sobre o Retiro de Crianças na cidade de Benedito Novo, mas primeiro, algumas explicações!

O que é o retiro

O Retiro acontece sempre em janeiro e é voltado para crianças entre 7 e 11 anos, iniciando no domingo e terminando na sexta, ou seja, quase uma semana cuidando do filho dos outros, hahaha. Na semana que eu participei, foram 74 crianças divididas entre cinco tios e nove tias. Eu cuidava de sete dessas 74 children’s, ou seja, quase 10% do retiro D:. A programação contava com atividades, brincadeiras, teatros, piscina e aplicação da Palavra 24h. Mas vamos lá para a minha impressão, não vou explicar a rotina porque já me canso só de lembrar!

Quando comecei

Esse foi o meu quarto ano de retiro como tio. Participei em 2008, 2009 e 2010, pulei 2011, e voltei 2012. Admito que senti muita falta de participar um ano, mas infelizmente não deu para mim ir. No meu primeiro ano, 2008, fui junto com a minha irmã. Assustado só de pensar em ficar cinco dias e meio cuidando de crianças (na época eu tinha 16), o que eu mais pedia era pra não vir no meu quarto crianças: choronas; que fazem xixi na cama; que tem medo do escuro; que tem alguma problema de saúde e/ou precise dar remédio; que tenha que acordá-la a noite para levar no banheiro; que não consiga dormir sozinha; etc.. Como podem ver, eu era um pouco exigente. Hahaha

Felizmente, pela ajuda do Tiozinho (um dos organizadores da parada) e por Graça de Alguém lá de cima, no primeiro ano não tinha ninguém com tais características! Foram cinco crianças ativas, alegres e que, ano passado, quatro deles estavam no Encontrão Jovem que acontece em Ituporanga. Foi uma felicidade quando os vi!

Voltando ao retiro, primeiro ano, acabou a semana e me vi aliviado. É uma sensação boa tu se livrar de uma responsabilidade de cuidar de crianças que não são tuas, mas ao mesmo tempo da uma sensação de abandono. Afinal acabou criando um vínculo com elas, mesmo com tão pouco tempo de convivência, mas mesmo assim é algo que te motiva!

Nos anos seguintes

Não tive problemas no ano de 2009 e 2010, mas sim tive novas experiências. Umas delas é aonde um dos meninos no meu quarto tinha que fazer nebulização (com aquela maquininha, tá ligado?) durante a noite, e aquela barulheira acordava qualquer um! Mas nada que um tio não faça pela sua criança!

Em 2010 teve um caso que eu me lembro muito bem. Não foi nada de muito espetacular ou preocupante, mas me deu uma vaga ideia do que é ser um pai: acordar toda a noite para levar uma criança ao banheiro! Hahahaha, é algo que me tirou boas horas de sono, mas como eu disse, ensina um negócio chamado responsabilidade!

Quando eu não fui

O Retiro de Crianças é divido em quatro semanas no mês de janeiro, onde a cada semana mudam as crianças e, geralmente, mudam os tios (tem alguns que são loucos e resolvem ficar as quatro semanas, mas tudo bem). Eu sempre peço para a tia Ane (mulher do Tiozinho e organizadora a décadas do Retiro) para guardar uma vaga na primeira semana para mim, pois é a única na qual eu posso participar. Nas outras é impossível por causa do trabalho. Mas infelizmente, nem na primeira semana pude ir.

Foi um mês estranho aquele de 2011. Sentia falta de algo que me deixava cansado, irritado e alegre. Acabei percebendo que o retiro faz uma diferença muito grande na vida de quem participa lá, independente se é tio, criança ou cozinheira!

Esse ano: uma experiência nova

2012 chegou e depois de um ano afastado pude voltar! O retiro desse ano trouxe uma experiência: explicar para crianças sobre as coisas mais difíceis de entender na Bíblia. Eu admiro as crianças porque elas perguntam sem enrolação, elas falam daquilo que elas querem saber, e através dessa “perseverança infantil” eu também consegui desenvolver a minha intimidade com Deus.

Todas as tardes na hora do descanso e a noite depois da história, os sete guris do meu quarto me perguntavam coisas como “Qual o sexo dos anjos?”, “Os suicidas vão para o céu?”, “2012 é mesmo quando o mundo vai acabar?”, “Existem extraterrestres?”, “Qual é o pecado imperdoável que a Bíblia diz?”, entre outras centenas de perguntas cabulosas e teológicas!

Algumas foram difíceis de responder (principalmente a do sexo dos anjos, como eu poderia saber isso? Hahahaha), mas não deixava eles na mão. Uma vez eu aprendi que o sábio não sabe de tudo, portanto, olhei para eles e disse “Não sei”, mas não adiantou e eles continuaram a me perguntar! Hahahahah.

Entre a noite de segunda e terça-feira, depois das 1h quando todas as minhas children’s já estavam dormindo, eu necessitava de um tempo com Deus. (No retiro, enquanto as crianças estiverem acordadas, você não tem tempo para si mesmo. Se tu tens um problema e precisa resolver com Deus, terá que sacrificar algumas horas do seu precioso sono). Peguei a minha Bíblia e fui até a varanda e busquei algumas respostas. Baita noite foi aquela!

Voltando ao quarto, uma das minhas crianças estava encolhida na cama e a coberta no chão. Lá vai eu cobrir ele (sentimento de um quase pai). Toda a noite tinha alguém que deixava cair o travesseiro ou a coberta no chão, e tio que é tio acorda de uma em uma hora para ver se esta tudo bem no quarto.

Um testemunho que não é meu

Como eu sou uma ótima pessoa, vai ai um curto testemunho de uma das tias do retiro, a Tia Délis, que participou entre os 7 e 11 anos como crianças e, a partir dos 15, como tia:

Quando eu era criança, participei de todos os Retiros de Crianças que pude, e no último dia do meu último ano eu falei que quando pudesse voltaria como ‘tia’. Em 2009, como havia dito voltei á Benedito para servir ao Senhor sendo mãe, pai, cachorro, papagaio e também conselheira para algumas crianças.

Os Retiros foram e ainda são de grande importância pra mim! No meu tempo de criança gostava de ir por causa dos amigos, das coisas que fazíamos lá e também da forma como mostravam a Palavra de Deus, divertida e que prendia a atenção. Agora eu vou porque estando lá sinto que posso voltar a ser criança também, e posso fazer parte de algo que espero que marque a vida dessas crianças tanto quanto marcou a minha, e que através de cada um que vai lá servir, Deus fale ao coração dos pequenos, porque afinal, deles é o Reino dos Céus (:”

Como da pra ver, o retiro gera frutos. Ela é uma de várias pessoas que já foram crianças e que participaram, e hoje ajudam em diversos trabalhos da igreja! Eu nunca fui criança de retiro, então não poderia falar com propriedade do que realmente é o sentimento de uma criança em um local como esse.

O que aprendi

Nesses quatro anos de retiro eu aprendi muito, principalmente:

Liderança: Você só realmente consegue ser um líder entre crianças (e entre qualquer grupo que tu participe) se você é maduro o suficiente para tomar decisões. Não falo aqui de humildade porque isso tem que estar presente em todo o cristão, mas falo de tomar a frente em algumas situações que você é forçado a isso.

Maturidade: Só pode ser tio de retiro quem tiver 15 anos completos (meninas) e 16 anos (meninos), ajudar no grupo de crianças de sua cidade, ser convertido a mais de um ano e, principalmente, ter Jesus como foco. A maturidade é exigida porque no retiro você constrói o caráter infantil e a mentalidade cristã!

Testemunho: As crianças reparam mais no que você faz do que em que você fala. Viver Cristo é importante. Muitas vezes nos esquecemos disso no dia-a-dia, só que lá isso é cobrado de ti, e quando você sai, você acaba cobrando de si mesmo essa vivência.

Respeito: O Dionei, um missionário da cidade de Timbó, falou uma coisa que me marcou: “As crianças são seus irmãos na fé”. A partir do momento que tu coloca isso na tua mente, você muda o seu olhar, não vendo mais a crianças como uma outra qualquer, mas sim como um futuro amigo(a) que você poderá contar, não desprezando mais os problemas e as dificuldades que cada um tem.

O Fim

Acho que é isso! Meu recado aos tios que participaram: “Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas”. Romanos 10:15b. Vocês são uns lindos!! Todos que fazem trabalhos como esses são! Continuem firmes aonde quer que estejam!!

Para quem ficou curioso, algumas fotos do Retiro (Tem no total mais de 1800 fotos, portanto, selecionei só algumas ;p):

Fiquem na Paz!                                         Gustavo Woerner

Categorias: Reflexões, Testemunhos

Comente pelo Facebook »