por Robert Boyd Munger

Uma tarde, convidei Cristo a entrar em meu coração. E que entrada foi essa! Não foi simplesmente algo emocional, nem teve nada de espetacular, mas foi muito real. Algo realmente aconteceu no centro da minha vida. Chegou ao meu coração que estava às escuras e acendeu uma luz. Acendeu um fogo, e o frio se foi. Pôs uma música no lugar em que antes reinava silêncio e, com sua companhia amorosa e indescritível, encheu o vazio. Jamais me lamentei de ter aberto a porta do meu coração a Cristo e nunca lamentarei.

Em meio à alegria especial dessa nova relação, disse a Jesus: “Senhor, quero que o meu coração seja teu. Quero que te instales aqui e que sintas que esta é tua casa. Tudo o que tenho te pertence. Vem, quero que conheças a casa”.

O Escritório

O primeiro lugar foi o meu escritório, a biblioteca. Em minha casa, essa área da mente é muito pequena, com paredes grossas. Porém, é uma área muito importante. De certa forma, é a sala de controle de toda a casa. Ele entrou comigo e, enquanto olhava, viu os livros nas estantes, as revistas sobre a mesa, os quadros nas paredes. Comecei a sentir-me um pouco incomodado.

Que estranho! Antes nunca sentira nada, mas agora que Ele olhava tudo comecei a tomar consciência. Havia livros sobre as estantes que aqueles olhos santos não podiam contemplar. Entre as revistas que estavam sobre a mesa, havia algumas que deveriam estar bem longe de um crente em Cristo. E os quadros… a inspiração para alguns deles e o pensamento que representavam, honestamente, eram embaraçosos.

Envergonhado, voltei-me a Ele e disse-lhe: “Mestre, sei que este lugar necessita ser limpo e posto em ordem. Me ajudarás a deixá-lo como é preciso?”

Claro!”, me respondeu. “Ficarei feliz em ajudá-lo. Em primeiro lugar, pegue tudo que está olhando e lendo, que não seja benéfico, puro, bom e honesto, e tire tudo daqui. Agora sobre as estantes vazias coloque os livros da Bíblia. Encha este escritório e biblioteca com a Escritura e medite nela de dia e de noite. Quanto aos quadros nas paredes, será difícil para você controlar essas imagens, porém tenho algo que o ajudará”. E me deu um quadro em tamanho natural dele mesmo. “Ponha-o no centro”, disse-me, “na parede de sua mente”.

Assim fiz e através dos anos pude comprovar que, quando meus pensamentos estavam centrados em Cristo, sua pureza e seu poder faziam retroceder os pensamentos impuros. De maneira que Ele me ajudou a pôr os meus pensamentos sob o seu controle.

Categorias: Reflexões

Comente pelo Facebook »