Salvador, por favor, pegue minha mão e ajude-me a levantar. Eu tenho caído tão profundamente em crises e alusões da minha mente que desapareço tão rápido. Nessa vida que começa e acaba num piscar de olhos, eu faço o melhor que posso, mas não sei quanto tempo vou durar.

Eu tento ser tão firme, mas eu simplesmente não sou forte o suficiente. Eu sei que não posso fazer isso sozinho, Deus, eu preciso que você me segure. Eu tenho tentado ser bom o suficiente, mesmo que me sinta medíocre por não fazer muita coisa, mas sem o seu amor é que não sou nada mesmo. Salvador, por favor, siga-me salvando.

Talvez seja um tempo de cicatrização, tempo de seguir em frente… Mesmo “sozinho” nas minhas “crises de solidão” é hora de consertar o que foi quebrado. É preciso fazer direito o que foi errado, é hora de encontrar o caminho para onde eu pertenço. O que quer que seja que Você está fazendo dentro de mim (parece que o caos), mas de alguma forma há paz.  É difícil entregar-se ao que não posso ver, ou esperar o que não posso sentir, mas estou me entregando a algo celestial. Essa é a minha fé.

Embora me sinta frio, como se eu estivesse esperando totalmente sozinho, com essa solidão que envelhece tanto. Eu vivo num constante entre o “perdido” e o “encontrado”. Segundos preciosos em que ouço sua voz me dizendo: “Não Temas, crê somente”. E então eu canto:

“Diga que você está aqui,

Que você segurará meu coração, que você me amará pra sempre.

Eu sei que você pode dizer quando eu começo

A deixar minha esperança desaparecer.

Eu preciso me segurar, abrir meus olhos pra escutar”

Diga-me que eu estou perdoado e sou amado, porque eu ouço isso nas esquinas. Sobre como Deus é amor e como o homem pode ser limpo. Mas a minha alegria tirou férias, e a minha paz quase morreu já. Diga-me que sou perdoado e livre. Sussurre para mim agora dizendo que é pra valer, porque no silêncio destas paredes a justiça perdeu seu apelo. Com misericórdia mais uma vez enquanto você cura, aqui estou rendido aos teus pés.

Leves esses “aleluias” sem significado, preencha meus pulmões de novo, porque eu quero cantar forte, eu quero sentir de novo e deixar o mundo ouvir o som de alguma coisa sobre: “Jesus, mantenha meu coração vivo”. Só você pode me salvar quando minha esperança está escapando e eu estou desfalecendo.

“Jesus, mantenha meu coração vivo”.

Por: Fayson Merege

Categorias: Reflexões

Comente pelo Facebook »