Hoje, o cristão vive em tempos de confusão; tempos como aquele em que Abraão chega a Davi e diz, “Tu me amas Pedro?”.

Se você não riu, cuidado!

Sei que há muitos – e já conversei com eles – cujo cristianismo é assim mesmo. Já conversei – pelo menos tentei! – com evangélicos que criam um pouquinho disso com um pouquinho daquilo e, em cima de tudo, maquiagem cristã; que misturavam isso com aquilo e criam no que daquilo saía. Não quero dizer de onde eram, pois não quero generalizar, mas o que posso dizer é que esse problema, no reino de Deus, é universal … 🙂

Chamo isso de fé Frankenstein: um pedaço de doutrina espírita, mais umas superstições, mais uns amuletos católicos e dá nisso aí, fé Frankenstein: ignorante, monstruosa e perigosa. E assim como o monstro, por ignorância, matou o doutor, a fé, pela mesma razão, mata o crente.

Guilherme Adriano

Categorias: Reflexões

Comente pelo Facebook »