Ouvi essa frase de um amigo enquanto falávamos sobre os nossos pecados: “Eu odeio tal pessoa porque é muito difícil conseguir lidar com ela. Mas isso somente explica o porquê, mas não justifica”. Fiquei pensando nisso e também atribuindo diversas situações na qual se encaixaria muito bem este termo e, por tão normal que seja, nossa vida se baseia em cima disso.

Muitas vezes nós tentamos explicar alguma coisa errada que aconteceu ou que praticamos e, imediatamente, tentamos justifica-la com esse mesmo argumento.  Não gostamos de ser cobrados, não queremos que nos julguem.  Arranjamos milhares de motivos para odiar alguém ou para colocar a culpa em outra pessoa, mas nada disso justifica quando o fazemos.

Entendemos que Deus só aceita quem é perfeito: “Meus olhos aprovam os fiéis da terra, e eles habitarão comigo. Somente quem tem vida íntegra me servirá.” Salmos 101:6. Percebemos também que nunca alcançaremos a perfeição por nosso próprio esforço: “Mas agora, em Cristo Jesus, vocês, que antes estavam longe, foram aproximados mediante o sangue de Cristo”. Efésios 2:13. Explicamos que “erramos porque não somos perfeitos”, e logo somos contra tudo aquilo que Cristo fez por nós na cruz.

Cristo veio uma vez ao mundo para morrer pelos nossos pecados, aqueles que cometemos, aqueles que estamos cometendo e aqueles que ainda vamos cometer. Pecar é a nossa natureza, mas falar que erramos porque não somos perfeitos é desculpa que Deus não aceita, é motivo para continuar errando. A partir do momento em que conhecemos Cristo e reconhecemos que ele morreu por nossos pecados, a perfeição nos alcança, porque Deus nos alcançou.

Cristo quer um coração realmente arrependimento e não um acostumado com o erro. Quer aquela pessoa que sabe de suas limitações, mas que luta buscando a perfeição, mesmo sendo falha. A humildade está em reconhecer que somos falhos e assim alcançamos a perfeição.

Os nossos erros explicam a nossa natureza, mas não justificam a indiferença de praticá-lo. Aceitamos a Cristo e nascemos de novo, não mais da carne, mas do Espírito: “Em resposta, Jesus declarou: ‘Digo-lhe a verdade: Ninguém pode ver o Reino de Deus, se não nascer de novo’”. João 3:3

 

Fiquem na Paz!                Gustavo Woerner

Categorias: Reflexões

Comente pelo Facebook »