Algumas palavras do Guilherme Adriano, amigo dos Massacrenteiros sobre a Evolução e o Big Bang! Boa Leitura 😀

Acho que é necessário fazer a distinção clara de Microevolução e Macroevolução. A Microevolução é a adaptação/modificação dentro de uma espécie. Já a Macroevolução não acontece é quando uma espécie migra para outra. Para a evolução das espécies acontecer de acordo com Darwin (que não era ateu) era preciso que acontecesse a Macroevolução, e sendo que isso nunca foi observado nem encontrado em fósseis, continuando APENAS no âmbito da teoria.

Para que a macroevolução aconteça deve haver acréscimo na informação genética para produzir novos membros (asas, braços, etc.). Não existe evolução que produza nova informação genética. A origem dessa nova informação genética necessária para migrar de espécie é a pedra no sapato dos evolucionistas. Ela poderia, no entanto, vir de fora, mas isso seria chamado “mutação genética”, resultando em bizarrices e não em aprimoramentos (até hoje, pelo menos!). O único lugar onde pode-se ver mutação genética benéfica é no filme dos X-men.

No livro Origem das Espécies, Darwin diz: “Se pudesse ser demonstrado que algum órgão complexo existe, o qual não poderia ter sido formado através de pequenas modificações numerosas e sucessivas, a minha teoria estaria completamente arruinada.” Isso foi demonstrado, é chamado “complexidade irredutível”. O Bioquímico Michael J. Behe descreve essa complexidade em seu aclamado livro A Caixa Preta de Darwin, o desafio da bioquímica à teoria da evolução.

Você sabia que mais de quinhentos cientistas, de todas as crenças e descrenças, assinaram uma declaração pública dizendo:

Somos céticos das afirmações defendendo a capacidade da mutação casual e seleção natural para explicar a complexidade da vida. Deve-se incentivar um exame cuidadoso da evidência em prol da teoria darwiniana”. (Veja você mesmo aqui).

A teoria da evolução está em crise

Resumindo: A macroevolução, mudança de espécies, nunca aconteceu e é apenas teoria. Assim, Darwin errou. Microevolução acontece: adaptações dentro da própria espécie. Existem órgãos que não podem ser formados através de “pequenas modificações numerosas e sucessivas”, assim sendo, a teoria de Darwin está “completamente arruinada”. E MESMO que fosse verdade, a evolução das espécies, segundo Darwin, apenas tenta explicar a origem das espécies e não da vida; tenta explicar como A chegou a B, e não como A apareceu. Assim, a evolução das espécies, mesmo se verdadeira, ainda precisa de uma primeira vida que sempre existiu: Deus. Aliás, Darwin cria em Deus:

“…nas minhas maiores oscilações, nunca cheguei ao ateísmo no verdadeiro sentido da palavra, isto é, nunca cheguei a negar a existência de Deus.”, do livro A Vida e a Correspondência de Charles Darwin, publicado por seu filho Francis Darwin, em 1887.

Leituras recomendadas: A caixa preta de Darwin, Michael Behe. Darwin no banco dos réus (ou Darwin em julgamento), Phillip Johnson. Por que a ciência não pode enterrar Deus, John Lennox. Assista o documentário do Youtube Em defesa do Criador (é legendado, curtinho e muitooo bom!). Também sugiro a série de vídeos do cientista Adauto Lourenço, digite no Youtube Criacionismo Científico (o cara é brasileiro!).

Big Bang (Luz Antes do Luzeiro)

Sobre a origem da luz, há a possibilidade do Big Bang ter sido a origem da luz inicial. E por favor, devemos entender que o Big Bang é um evento que contribui para a visão criacionista, pois diz que o Universo teve um começo definido no passado finito. Até antes da Teoria do Big Bang, os judeus, cristãos e mulçumanos estavam contra a ciência dizendo que o Universo sempre existiu e era eterno. No século XX Hubble descobriu, através da radiação de fundo e do afastamento das galáxias, que o Universo teve um começo há tantos bilhões de anos. Chamaram esse começo Big Bang. Leia com calma essas citações que tirei de vários livros de astrologia e de alguns de filosofia:

Os cosmólogos modernos pareciam tão perturbados quanto os ateístas a respeito das possíveis implicações teológicas de seu trabalho [Big Bang]. Como resultado, inventaram rotas de escape que buscavam preservar o status quo não teísta.” – Um ateu garante Deus existe, Antony Flew. “É dito que o argumento é o que convence homens racionais e a prova é o que convence homens irracionais. Com a prova agora em seu lugar, cosmólogos não podem mais se esconder atrás da possibilidade de um universo de passado eterno. Não há escapatória; eles precisam encarar o problema de um começo cósmico.” Many Words in One, Alexander Vilenkin, pg. 176.  “Big Bang, o evento que iniciou o nosso universo. Por que aconteceu é o nosso maior mistério. Que aconteceu, é racionalmente claro.” – Cosmos, Carl Sagan, pg. 246. “Em outras palavras, não só apenas o universo tinha um início, mas também era possível calcular a sua idade.” – O cosmos de Einstein, Michio Kaku.  “[…] a conclusão essencial permanece a mesma: o tempo não existia antes do Big Bang. […] Como descrevi no cap. 1, a ideia de que o tempo passou a existir com o universo (no Big Bang) enquadra-se muito naturalmente na teologia cristã”. O enigma do tempo, Paul Davies, pg. 173. “Portanto, não surpreende que Penrose e eu conseguíssemos provar que […] o tempo precisa ter um início, no chamado Big Bang. […] Houve diferentes reações ao nosso trabalho. Ele perturbou muitos físicos, mas fascinou os líderes religiosos que acreditavam em um ato de criação.” O universo em uma casca de noz, Stephen Hawkings, pg. 41.

O Big Bang aconteceu e dá suporte à visão criacionista ou de I.D., (ou até aos crentes na evolução teísta), pois tudo que prova é que o universo teve um começo, e com ele, espaço, tempo e matéria. Ele pode ter sido a fonte da primeira luz. Se não, Deus era a primeira luz, pois está escrito que “Ele era a luz dos homens” em João 1.

Conclusão:

Se a evolução das espécies ocorreu exatamente como descreve Darwin, Deus deve existir, pois precisamos de uma primeira vida para começar o processo todo, e sendo verdadeira a lei da biogênese que diz “vida gera vida”, uma primeira e sempre existente vida deve ter existido. Se a evolução das espécies não aconteceu, alguma forma de criacionismo deve ser verdadeira, assim, Deus existe.

Se o Big Bang aconteceu, Deus deve existir, pois é uma explosão, e para uma bomba explodir alguém precisa apertar o botão. Em outras palavras, o Big Bang é uma consequência para qual não se sabe a causa: eu acho que sei. Se o Big Bang não aconteceu, então alguma forma de criação espontânea deve ser verdadeira, portanto, Deus existe.

Se quiser explicações mais detalhadas, referências de leituras e vídeos, posso encher 10 páginas de Word com links! 😀

Abraço… Guilherme Adriano.

 

Categorias: Reflexões

Comente pelo Facebook »