Ha algum tempo eu escutei a seguinte frase: “Deus dá mais para aquele que ele ama mais”. Escutei esta frase em uma pregação e o contexto no qual ela estava contida dizia a respeito da importância de você ofertar na igreja, pois dessa forma a pessoa que ofertasse mais seria ricamente mais abençoada do que aquele que não o fizesse.

Ao ouvir isso me deu até calafrios. Como assim?!? – pensei. Como pode o Senhor Deus e criador fazer tal distinção? Julgar e recompensar seus filhos mediante o desempenho em ofertar. Será que Ele é algum tipo de patrão que necessita impor metas para que os seus consigam algo? Como pode Ele fazer acepção de pessoas?

Nesse meio tempo lembrei daquela passagem de Mateus 5:46: “Se vocês amarem aqueles que os amam, que recompensa receberão? Até os publicanos fazem isso!”. A relação com o Senhor tem sido tratada de uma forma semelhante a esta. Segundo alguns pastores, caso você venha a ofertar na igreja, o Senhor vai te recompensar por sua oferta, caso contrário, se não houver esta mesma atitude, não existe a possibilidade dEle fazer o mesmo. Ou seja, quem dá mais receberá mais. Isto nada mais  é do que uma atitude da classe publicana: recompensar aquele que te recompensa.

Também não estou dizendo que é errado ofertar na igreja, pois afinal a igreja precisa de dinheiro para se manter. Porém, basear a medida da oferta no quanto ela irá render, isso não está correto, é mentalidade de investidor. A igreja é local de culto e ajuda ao próximo, e não um tipo de banco no qual se é aplicado o dinheiro.

Eu não acredito que o Senhor Jesus seria hipócrita ao ponto de ensinar uma coisa e praticar outra. Por isso que não levo a sério nenhuma relação de barganha, sacrifícios e votos absurdos para conseguirem algo do Criador. As escrituras dizem que Deus quer obediência e não sacrifícios. Por isso que acredito que Deus não é publicano.

Ramon Gomes

Categorias: Reflexões

Comente pelo Facebook »