Ciência e religião sempre andaram juntas, até que em algum ponto da história, romperam. A religião passou a trata da alma, do sobrenatural, do transcendente, de valores e conceitos acima da possibilidade padrão de verificação. A ciência, por sua vez, nada teria a ver com religião, ou quando muito, teria um papel de desmistificação, explicando através das leis naturais aquilo que os religiosos acreditam que é a mão de Deus na história, na natureza e na realidade humana. Aí fica a pergunta no ar: Religião e Ciência são tão distintas assim? Veremos!

História ocorrida em 1892:

Um senhor de 70 anos viajava de trem, tendo ao seu lado um jovem universitário, que lia o seu livro de ciências. O senhor, por sua vez, lia um livro de capa preta. Foi quando o jovem percebeu que se tratava da Bíblia e estava aberta no livro de Marcos. Sem muita cerimônia, o jovem interrompeu a leitura do velho e perguntou:

– O senhor ainda acredita neste livro cheio de fábulas e crendices?

– Sim, mas não é um livro de crendices. É a Palavra de Jesus. Estou errado?

– Mas é claro que está! Creio que o senhor deveria estudar a História Universal. Veria que a Revolução Francesa, ocorrida há mais de 100 anos, mostrou a miopia da religião. Somente pessoas sem cultura ainda creem que Deus tenha criado o mundo em seis dias. O senhor deveria conhecer um pouco mais sobre o que os nossos cientistas pensam e dizem sobre tudo isso.

– É mesmo? E o que pensam e dizem os nossos cientistas sobre a Bíblia?

– Bem, respondeu o universitário, como vou descer na próxima estação, falta-me tempo agora, mas deixe o seu cartão que eu lhe enviarei o material pelo correio com a máxima urgência.

O velho, então, cuidadosamente, abriu o bolso interno do paletó e deu o seu cartão ao universitário. Quando o jovem leu o que estava escrito, saiu cabisbaixo sentindo-se pior que uma ameba. No cartão estava escrito: “Professor Doutor Louis Pasteur, Diretor-Geral do Instituto de Pesquisas Científicas da Universidade Nacional da França”.

Um pouco de ciência nos afasta de Deus. Muito, nos aproxima.” – citado em “L’Age nouveau”, Edições 99-104‎ – Página 66, 1957 – Louis Pasteur

Louis Pasteur (Dole, 27 de dezembro de 1822 — Villeneuve-L’Etang, 28 de setembro de 1895) foi um cientista francês cujas descobertas tiveram enorme importância na história da química e da medicina. A ele se deve a técnica conhecida como pasteurização.

Pasteur, que era cristão, foi dos maiores adversários da moda da teoria da evolução que então se instalava com furor. Disse textualmente: “Há algo no fundo de nossas almas que nos diz que o mundo deve ser algo mais do que uma mera combinação de fatos, devida a um equilíbrio mecânico surgido simplesmente do caos dos elementos, por uma ação gradual das forças materiais (…). As futuras gerações algum dia vão rir da tolice dos filósofos materialistas modernos. Quanto mais estudo a natureza, mais fico maravilhado com os feitos do Criador. Oro enquanto estou trabalhando no laboratório.” – The Literary Digest.

Se algum dia os estudantes, cientistas e cristãos colocarem de lado as etiquetas “religião” e “ciência” e simplesmente se questionarem sobre a verdade da sua origem, eles irão então descobrir que não há conflito entre a ciência e o Cristianismo.

“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.“ João 8:32

Fiquem na Paz!       Gustavo Woerner

Categorias: Reflexões

Comente pelo Facebook »